sexta-feira, 17 de abril de 2009

Mentir e manipular é tarefa dos escribas do império Oliveira.

O orgulho em ser benfiquista
Certos opinadores da imprensa do império Oliveirinha,
escribas pagos à peça, especializaram-se em adulterar o que se passa nos campos de futebol e nos bastidores a favor do clube do seu patrão, o clube batoteiro, como bem lhe chamou Platini.

Ora, para clube batoteiro, escribas batoteiros. A eles, não resta outra coisa que repetirem mentiras até à exaustão convencidos que as transformam em verdades, ou então deturparem factos de forma a manipular a opinião publica.
Vejamos dois do mesmo jornal (dn), que no meio de peças com outras direcções, não se inibem de destilar o seu veneno em forma de letras.

Extracto pérola de João Rosado de 17/4, a propósito das palavras de LFV, após a derrota com a Académica.
“Basta ver a inócua conferência de Imprensa protagonizada por Luís Filipe Vieira esta semana. O presidente do Benfica criou grandes expectativas e depois falou para dizer… nada. Não convocou eleições antecipadas, não apareceu de braço dado com Rui Costa e muito menos, claro, surgiu a anunciar a renovação do contrato de Quique Flores… além de 2010.”
Fantástico como escribas deste jaez referem e dão atenção a quem , na opinião dele, nada disse. O escriba ficou foi defraudado, esperava, não há dúvida algo onde pudesse meter a dentuça nojenta como dragão de komoro. Azar dele.

O outro, Carlos Ferro em14/4, fala do que lhe interessa e da sua “visão” sobre a arbitragem do Benfica-Académica.
“ Perdido o jogo com a Académica - 1-0, exactamente um ano depois da derrota no Estádio da Luz por 3-0 com a equipa de Coimbra -, logo surgiram as denúncias sobre a má arbitragem de Marco Ferreira. Queixaram-se os dirigentes de um golo mal anulado a Pablo Aimar, ao que parece com razão. O problema é que depois não tiveram a humildade de reconhecer que Reyes devia ter visto um amarelo e que David Luiz foi protagonista em dois lances puníveis com cartão amarelo - 33 e 72 minutos - e não viu nenhum. E o segundo dava expulsão do jogo.”


A conversa de sempre… para ele o Benfica ainda teria que calar-se. E não é por acaso que quer transmitir a ideia de que Reyes e D. Luís prevaricaram. Omite um fora de jogo com Aimar isolado logo nos primeiros minutos em situação de golo eminente. No lance do golo anulado, atreve-se a dizer parece com razão. Para além do penalti sobre D. Luís que o escriba transforma em simulação, o abalroamento do defesa com consequente amarelo. No caso da falta sobre Reyes, 2º amarelo e expulsão, só gostava que ele, alguma vez fizesse uma corrida e alguém por detrás lhe desse em qualquer local de uma perna o mais ligeiro toque… e que à sua frente estivesse um monte de merda. Teria o maior prazer em ver como ficavam as suas, do C. Ferro, trombas.

A foto do engenheiro e sua escolta é elucidativa da raiva destes escribas de pacotilha, o clube que defendem e, mesmo com Mortaguas, Aguiares e Garridos na UEFA não conseguem evitar que sejam considerados batoteiros. É o Benfica... é o Benfica... berram desesperados...
Que orgulho tenho em ser benfiquista e combater esta gentalha.




2 comentários:

bichoDEmato disse...

Os mafiosos estão bem organizados. Desmantelá-los já esteve mais dificil. Força benfiquistas.

herr von bolas disse...

Estes gajos devem receber aconselhamento familiar.
Lacaios...